Pesquisa sobre Armamento Civil e Segurança Pública

Lucas Parrini

Parrini é diretor estadual do Instituto DEFESA no RJ, estudante de criminologia e segurança pública e admirador de assuntos relacionados a combate.

O Instituto DEFESA procurou conhecer melhor o que os armamentistas pensam sobre como devem ser as regulações estatais sobre armas, melhorias no trabalho da polícia, reforma no código penal e demais temas.

Foram registradas as posições de 1009 pessoas, de todo o Brasil, não havendo discriminação de sexo, idade, etnia, raça ou profissão.

Essa pesquisa é pública e pode – como deve – ser usada pelos parlamentares pró-armas para que saibam o que seu eleitorado deseja. Empresas de armas, principalmente as estrangeiras, clubes de tiro, lojas de armas, também são entidades que podem se beneficiar com os dados. Caso queira usar, por favor apenas reconheça o trabalho citando a fonte.

Adianto que esta pesquisa já está nas mãos das empresas Browning, Winchester, Miroku e FN Herstal para estudos, graças ao nosso representante no estrangeiro Richard Macedo!

Obrigado também Fernando, pela ajuda com o sistema!

Agradecimento especial para cada um dessas 1009 pessoas que dispuseram alguns minutos de sua rotina para ajudar a construir esta pesquisa independente.

Unidos somos invencíveis!

Brasil!

 

Razoável. (Restrições anteriores mais registro de armas e munições, solicitações e cadastros on-line, etc.)
Pouca.
(Proibição para crimes violentos, nucleares, químicas, biológicas, etc.)
Nenhuma.
Completa.
Alta
. (Anteriores mais provas técnicas e psicotécnico, calibres restritos, obrigação de participação em clubes, campeonatos, acesso controlado por “níveis”, solicitações apenas pessoalmente em partições públicas, etc.)
Altíssima (Anteriores, impostos nos produtos, armas importadas proibidas ou dificultadas, critérios subjetivos, etc.)

 

 

 

 

4 Replies to “Pesquisa sobre Armamento Civil e Segurança Pública”

  1. Na minha opinião o acesso a armas de qualquer tipo deveria ser livre. Ninguém tem que se identificar pra adquirir armas e nem se deve cobrar licenças pra ter armas. Estuprador não tem registro, latrocida não tem registro, homicida não tem registro, sequestrador não tem registro, por quê então as vítimas tem que ter registro? E também deveríamos ter o direito de ter qualquer tipo de armas, não importa se é um simples revólver, um morteiro ou um tanque de guerra, todos os seres humanos têm que ter o direito de se defender. Devemos sempre lembrar que o estado é o maior inimigo de todos. No último século o estado foi quem mais matou inocentes. E atualmente temos o exemplo da Venezuela que está praticando verdadeiro genocídio, com a população desarmada. Desarmamentos sempre acompanharam genocídios. A legítima defesa é um direito fundamental do ser humano. E este direito em nenhuma hipótese pode ser suprimido. Temos que ter o direito de nos defender. Na questão do policiamento vejo que é ideal privatizar a polícia e o poder judiciário. Num ambiente de livre concorrência, eles funcionariam melhor.

  2. Todo cidadão que cumpre com seus deveres, e responsabilidades públicas e q não possuem antecedentes criminais, principalmente vigilântes e CACs .devem ter o direito de portar uma arma para sua legitima defesa e também de sua família.
    Hj a uma grande inversão de valores muitos acham um absurdo o cidadão portar uma arma. Mais não ficam preocupados com a quantidade de armas nas mãos dos bandidos ,isso é lamentável. Nós vigilântes servimos e protegemos a vida e o patrimônio de terceiros, portando uma arma oferecido pela empresa , mais não podemos portar uma arma para proteger a nossa vida e de nossa família. Isso e muito triste e revoltante. Esperamos q esse sistema seja revertido para benefício do cidadão de bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *